Reciclagem: Como separar os resíduos orgânicos em casa

Ser consciente da responsabilidade de destinar corretamente os resíduos que geramos, contribui muito para a preservação do meio ambiente e evita a superlotação de aterros sanitários.

Ser consciente da responsabilidade de destinar corretamente os resíduos que geramos, contribui muito para a preservação do meio ambiente e evita a superlotação de aterros sanitários.

Entre os materiais que podem ser reaproveitados, estão os resíduos orgânicos, mas afinal, o que são eles?

Os resíduos orgânicos são aqueles que podem ser transformados em compostos orgânicos, ou seja, adubo. Eles têm origem animal ou vegetal como: verduras, legumes, frutas, carnes e até dejetos como fezes ou urina.

Todos esses materiais orgânicos podem voltar para a terra e fertilizar o solo para dar vida à novos vegetais, frutas, legumes e hortaliças orgânicos e sem a utilização de adubos industrializados que são prejudiciais à saúde.

Passo a passo para reciclar resíduos orgânicos:

Separe os resíduos secos dos resíduos úmidos (orgânicos)

Separe as embalagens em plástico, papel, latas de alumínio e outros resíduos secos, dos resíduos orgânicos com cascas de frutas e legumes, sobras de verduras, sementes, carnes.

Reaproveite

Ao separar os resíduos orgânicos em casa, é possível fazer uma composteira que pode gerar adubo para nutrir a terra e criar uma hortinha caseira que dará origem à alimentos orgânicos e muito mais saúde e economia em seu lar.

Como fazer a compostagem doméstica?

Primeiramente, você precisará de uma composteira doméstica, que nada mais é do que um sistema simples e higiênico que ajuda a reduzir os seus resíduos orgânicos e as emissões de gases do efeito estufa que agravam o aquecimento global.

Você pode fazer a sua própria composteira ou adquirir uma em hortos, lojas de materiais de jardinagem e em sites que oferecem múltiplas opções de acordo com a sua necessidade e o ambiente que você vive.

Geralmente, as composteiras domésticas tradicionais são compotas de caixas empilhadas, um pouco de composto contendo micro-organismos e minhocas californianas, essa é conhecida como vermicompostagem.

Também existe a compostagem seca, que é menos comum, essa opção não tem a ação das minhocas californianas, somente os micro-organismos presentes no solo sem nenhum auxílio externo. A diferença entre as duas está no tempo de decomposição, isso porque a vermicompostagem é bem mais rápida.

Depois de garantir uma composteira, chega o momento de por a mão na massa!

– Escolha um local arejado: tenha atenção na escolha do local onde a composteira vai ficar, ela não pode ficar exposta ao Sol nem ao vento ou chuvas.

– Forre o fundo de duas das caixas digestoras da composteira com humus de minhoca.

– Alimente as minhocas com folhas secas, borra de café, cascas de maçã, batata, mandioca. Tudo em pequenos pedacinhos e nada cítrico ou apimentado.

– Depois desse processo você pode depositar os resíduos orgânicos amontoados em um canto da composteira (não espalhe eles pela caixa) depois é só cobrir tudo com serragem ou grama e folhas secas (nunca coloque folhas muito grossas, elas podem impedir a passagem de ar que mantém as minhocas vivas).

– Finalização

Para coletar o humus, coloque a composteira à luz do dia (para que as minhocas se escondam), depois é só retirar esse material até deixar de dois a três dedos de terra para servir de “cama” novamente para as minhocas.

Este composto pode ser usado como um poderoso adubo orgânico que é fonte de nutrientes e matérias orgânicas que ajudam na recuperação de solos degradados.

O chorume líquido fica na última caixa debaixo e para retirá-lo você deve abrir a torneira até que ele caia no recipiente que você vai fazer o armazenamento.

Se você dissolver esse líquido em uma parte de água pode usá-lo para borrifar nas folhas das plantas e afastar insetos indesejados (cuidado, esse método só pode ser feito à noite, para evitar que as folhas queimem ao Sol)

Já dissolvendo-o em dez partes de água, ele pode ser usado como fertilizante natural.

Viu só quantas possibilidades? Então junte essas informações e coloque a compostagem em prática hoje mesmo!

Para saber mais sobre a compostagem e outras dicas sustentáveis, não deixe de nos acompanhar nas redes sociais, siga @reciclajunto.

 

Conte para o mundo!

WhatsAppFacebookPinterestLinkedIn
plugins premium WordPress